Abrir as portas do próprio negócio e empreender nunca é uma tarefa fácil. Uma tarefa ainda mais árdua é conseguir manter sua empresa funcionando por anos e de maneira financeiramente sustentável. Isso significa que sua empresa deve possuir uma margem de lucro suficiente para manter um capital de giro e todo o seu funcionamento, o que inclui pagamento de funcionários, custo dos serviços e da sede física.

Dados do Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) Minas apontam que 60% das pequenas empresas fecham as portas até o segundo ano de existência e um dos motivos apontados é a falta de conhecimento do proprietário em administração e gestão estratégica. Daí surgem as consultorias empresarias, que podem ter diversos focos, como gestão financeira, estratégica, de produção ou até mesmo de inovação.

Mas como saber quando se deve procurar um consultor para sua empresa?

É comum que o proprietário do negócio não consiga identificar os problemas da sua empresa, mesmo que já a mantenha há anos. Ele enxerga as consequências do problema, como insatisfação dos clientes, baixo faturamento e/ou pouca procura pelos serviços prestados, mas não enxerga o que causa tudo isso. A consultoria empresarial serve não só para identificar estes problemas, como corrigi-los e otimizar toda a sua gestão e produção, fazendo com que seu negócio atinja os resultados e metas desejadas.

Muitas vezes o empresário tem uma ideia inovadora para abrir seu negócio e muita disposição e empenho para trabalhar, no entanto, não entende da maneira correta como geri-lo, não compreendendo corretamente conceitos importantes para a sustentabilidade financeira, como capital de giro ou reserva financeira para investimento. Outro pecado comum é misturar as contas pessoais com as contas do negócio, não tendo nenhum controle do seu fluxo financeiro. Além disso, ele ainda enfrenta a falta de estratégia, não sabendo aonde quer que sua empresa chegue e não tendo um planejamento a longo prazo.

E quais estratégias o consultor usa e o que pode ser feito?

Diante disto o consultor entrará na sua empresa, identificará os problemas existentes e traçará uma estratégia para corrigi-los. Acompanhando a rotina da empresa, seus processos e hábitos, o consultor terá uma visão externa dos problemas mais urgentes que ela possui. Através deste diagnóstico ele poderá criar uma série de indicadores e a partir daí poderá acompanhar a evolução do negócio durante o período da consultoria e a correção dos problemas. No entanto, é muito importante que o proprietário da empresa e os funcionários entendam que o objetivo do consultor é fazer um serviço que renda bons resultados e isso só será possível se toda a equipe estiver alinhada a seguir com disciplina a proposta do consultor.

E como escolher o consultor correto para sua empresa?

Antes de contratar um consultor, é importante pesquisar bem os profissionais do mercado, para não correr o risco de fazer um mau negócio. Certifique se de que o profissional é uma pessoa comprometida, com bons antecedentes e com experiência de mercado. Pesquise bem os preços do serviço. Geralmente o preço de uma consultoria se baseia na quantidade de horas que serão dedicadas para cada serviço. Antes de fechar o contrato, um bom profissional te apresentará uma relação de tudo que ele irá fazer, tempo de serviço e custo. Uma boa opção é procurar uma Empresa Júnior para fechar o negócio. As vantagens de contratar uma EJ é que os serviços tem um custo abaixo do preço do mercado, os membros tem capacitação e auxilio de profissionais competentes e são atenciosos e dedicados com o cliente, pois procuram obter o máximo de conhecimento com cada experiência vivida durante o serviço.

E aí gostou do post? Então, compartilhe com seus amigos!

Para maiores informações, entre em contato conosco.

CT Junior: www.ctjunior.com.br

Telefone: (27) 4009 – 2680