Você já pensou na possibilidade de encontrar problemas que te geram retrabalho e façam com que gaste mais do que o estipulado para uma construção depois de uma obra ser entregue e finalizada? Sem contar no transtorno que as pessoas que deveriam estar usufruindo do ambiente passam.

Principalmente para a parte de instalações hidráulicas, pois essa área está ligada a saúde e higiene das pessoas, qualquer impasse pode acarretar em infiltrações pela edificação que podem causar problemas muito sérios ou até mesmo na contaminação da água que será usada posteriormente para consumo, banho, limpeza, entre outros usos.

Então, aqui te estão 5 problemas com instalações hidráulicas que você pode evitar:

1. Pressão mínima nos pontos das instalações

2. Falta do projeto hidráulico

3. Esquecer pontos de alimentação de aparelhos hidráulicos

4. Quantidade de registros pela edificação

5. Juntas de expansão e liras nas instalações de água quente

 

1. Pressão mínima nos pontos das instalações

Esse é um problema muito comum em instalações hidráulicas. Como na maioria dos casos, as caixas d’água ficam localizadas na cobertura da edificação, então a água precisa ser conduzida para baixo até os pontos de utilização.

Muitas pessoas pensam que o fato de o ponto estar abaixo da caixa d’água torna suficiente a pressão da água para chegar no ponto de utilização sem dificuldades, porém isso é um engano.

No percurso que a água deve fazer até chegar nos pontos de utilização, ela acaba perdendo pressão devido à diversos fatores, como o atrito com a tubulação ou devido às curvas e joelhos que ela acaba tendo que transpor.

Toda essa perda no caminho pode fazer com que a água chegue no ponto com uma pressão abaixo do mínimo recomendado, o que faz com que o fluxo de água seja baixo  e fique a sensação de que ela está com pouca “força” nas torneira, nos chuveiros e outros pontos, ou até mesmo pode fazer com que a água nem consiga chegar nos pontos de utilização.

Por isso é muito importante que essa etapa não seja feita no achismo e sim que seja feita a verificação de pressões mínimas em todos os trechos das instalações até os pontos de utilização para que isso que não ocorra.

2. Falta do projeto hidráulico

Pode-se dizer que esse é o maior gerador de dores de cabeça para quem está construindo e principalmente para quem já terminou as obras.

Um projeto bem feito significa planejamento e isso tem um impacto muito grande no decorrer de uma obra, seja na parte financeira, nos prazos e principalmente na minimização dos erros na etapa construtiva, poupando assim, muita dor de cabeça.

Agora, imagine você, muito tempo depois de ter finalizado a construção da sua edificação, já nem lembra mais por onde foram passadas as tubulações, olha para uma parede e começa a observar que ela está ficando cada vez mais úmida e acaba percebendo que está ocorrendo uma infiltração em algum lugar naquela parede e que tem que ser resolvido muito rápido.

Mas você não sabe em que lugar naquela parede pode ser a origem disso e muito menos se é nela, pois pode estar vindo de alguma tubulação acima.

Você não sabe por onde começar explorar e possivelmente terá que quebrar toda a parede para encontrar a tubulação causadora do problema.

Porém, se você tiver com o projeto em mãos, isso acaba se tornando uma tarefa muito mais fácil, pois você sabe por onde a tubulação está passando e pode atacar direto na raiz do problema, sendo muito mais simples encontrar o local com o problema, sem maiores transtornos.

3. Esquecer pontos de alimentação de aparelhos hidráulicos

Como dito anteriormente, planejamento é algo de suma importância em todas as etapa de um processo construtivo. Imagine agora outra situação, você já terminou todo o acabamento de toda a sua edificação, seu banheiro está lindo, todo revestido com à cerâmica/porcelanato.

Porém você nota que tinha pedido uma ducha higiênica e que não tem uma saída de alimentação para ela. Agora ou você quebra sua parede linda já pronta e refaz tudo de novo ou fica sem à sua ducha.

Sempre planeje suas ações, pois tendo o projeto você diminui muito as chances de um erro como esse acontecer, além de estar resguardado caso à construtora diga que você não tinha informado sobre esse ponto com ela.

4. Quantidade de registros pela edificação

Esse é um problema que pode te dar muita dor de cabeça no futuro. Muitas pessoa por não saberem a importância ou por querem economizar, acabam colocando poucos registros ou somente um para toda à edificação, o que não é o recomendado.

O ideal é que tenha um registro por ambiente, além de ter um registro geral, pois assim, caso tenha problemas em um ambiente de sua edificação, você possa fechar somente o registro daquele ambiente, sem cortar o fluxo de água no restante da edificação, para resolver aquele problema com calma, podendo assim continuar à sua vida normalmente no restante da edificação.

5. Juntas de expansão e liras nas instalações de água quente

Esse é um problema que poucas pessoas sabem que pode acontecer nas tubulações de água quente.

Essas tubulações são feitas de materiais que acabam sofrendo dilatação térmica, ou seja, expandem devido o calor gerado pelo líquido em alta temperatura que passa por ela.

Por isso é muito importante que seja previsto a utilização de juntas de dilatação, liras ou algum equipamento com objetivo parecido, em trechos longos e retilíneos nessas tubulações, para que elas estejam livres para dilatar e assim protegidas contra qualquer tipo de rompimento e deformações indesejadas por falta de espaço.

Lembre-se, o projeto é a alma da sua edificação. Ele não é “um custo a mais”, é um investimento. Não se deixe levar pelo o que é mais fácil e cômodo no momento, pois no futuro isso pode te dar uma dor de cabeça muito maior do que simplesmente fazer isso agora. Tenha sempre um projeto, porque o planejamento é a melhor prevenção contra os problemas.

Leia mais sobre assuntos relacionados em nosso Blog, e receba nossos conteúdos inscrevendo-se em nossa Newsletter.

Escrito por Tiago Tessarollo, Gerente de Projetos de Construção Civil CT Junior

[email protected]

Ir ao topo