Separar as contas pessoais da conta da empresa soa como um grande desafio na vida do micro, pequeno e médio empresário. A correria do dia a dia e o grande volume de atividades parecem dificultar ainda mais esse processo. 

Com uma gestão adequada e separada das finanças pessoais e do seu negócio, será mais fácil definir o desempenho real do seu negócio e, portanto tomar decisões mais assertivas e simples a respeito do rumo da sua empresa.

Pensando nisso, confira abaixo 5 dicas que separamos para te ajudar a vencer esse obstáculo.

1. Realize um diagnóstico financeiro da sua empresa

Separe um dia para realizar um diagnóstico financeiro de toda a sua empresa, junte as pessoas envolvidas na gestão de seu negócio e  identifiquem todas as contas fixas, custos  de produção, gastos com a comercialização de produtos e serviços e registre tudo em uma planilha.

Faça o mesmo processo com suas contas pessoais e registre em uma outra planilha. Desse modo, será possível identificar o quanto é gasto e portanto o quanto sobra da renda real do seu negócio.

2. Defina suas retiradas

Com a etapa anterior será possível conhecer a realidade financeira da sua empresa e assim o quanto pode ser destinado para suas despesas pessoais. Lembre-se que o lucro da empresa e diferente do seu lucro enquanto empresário. 

Na hora de definir seu Pró-labore, ou seja, seu salário, preocupe-se em destinar parte do lucro da empresa para investimentos na própria e em dinheiro para fazê-la rodar. 

Como sugestão na hora de determinar seu pró-labore, pesquise o quanto seria pago para uma pessoa externa realizar as mesmas funções que você realiza.

3. Tenha contas bancárias separadas

É interessante que você possua contas bancárias separadas, uma para você e outra para a empresa, assim será mais fácil haver uma boa organização financeira, pois haverá extratos separados e portanto saberá os gastos e recebimentos executados por cada uma das contas.

 Essa medida evita dúvidas, como “ e essa gasolina que paguei na segunda? foi para a viagem de família ou para buscar mercadorias no fornecedor?”.

Além disso, ao misturar as contas, pode ocorrer de tirar mais que o devido de sua conta empresarial, assim você paga uma despesa de casa e falta para pagar o fornecedor na data correta, podendo ocasionar maiores juros e perda da confiabilidade de seu fornecedor.

4. Separe suas despesas domésticas

Devido a correria do dia a dia, é comum muitos empresários aproveitarem os recursos da empresa para lidar com suas despesas domésticas.

 Por exemplo, Não é adequado pedir para que o motoboy da sua empresa passe no banco para pagar a conta de luz da sua casa, pois ele estará desviando recursos da sua empresa, como tempo e gasolina, para atividades que não agregam valor a seu próprio negócio. Como alternativa, você pode realizar o pagamento por um banco digital. 

Outro caso frequente, é aproveitar a mesma ida ao supermercado para fazer compras da empresa e de casa. Você pode, como sugestão, separar as compras em carrinhos diferentes, e passar no caixa como compras separadas. Assim será possível saber o quanto foi gasto com o que. 

5. Registre tudo

Por fim,  mas igualmente importante, registre tudo o que gastar ou receber. Utilize ferramentas, a que melhor se adequar a sua realidade, seja planilha, softwares ou um caderno, o importante é registrar. Ah, e não se esqueça de nenhuma quantia gasta, registre desde sua conta mais cara a uma bala que comprou. 

E lembre-se: use abas diferentes na planilha, tenha páginas diferentes no software, ou utilize caderninhos diferentes para cada tipo de gasto, separando sempre entre gastos empresariais e gastos pessoais. 

Agora que chegou até aqui, pegue um caderno, anote as dicas, convoque sua equipe e parta para a ação! 

Leia mais sobre assuntos relacionados em nosso Blog, e receba nossos conteúdos inscrevendo-se em nossa Newsletter.

Escrito por Mariana L. de Medeiros, Diretora de Consultoria CT Junior

[email protected]

Ir ao topo